Procura leitura para o seu fim de semana?

Siga os links e fique a saber o que os(as) Fulbrighters escreveram ou disseram ao longo dos últimos dias:

Omar Costa Hamido, Ph.D. student in Music na University of California, Irvine, EUA, na série “Leading the Arts Through a Pandemic” falou dos desafios e possibilidades agora que se encontra na fase final da tese de doutoramento com a temática “Quantum Computing and Music Composition”: «to spend time into making it less of a traditional recital seen from one just perspective or point of view … and accessible to other people… I will continue to exploring being an artist researcher and a citizen artist…». Não deixe de o ouvir sobre estes “resultados inesperados” e descubra mais acerca do trabalho pioneiro que o Fulbrighter desenvolve no seu website.

Helena Águeda Marujo, visiting scholar na University of Massachusetts, Amherst, EUA, e Professora nas áreas de Gestão de Conflitos e Psicologia Positiva no Instituto Superior de Ciências Sociais e Politicas da Universidade de Lisboa, assegura-nos que apesar dos problemas de saúde mental com que nos confrontamos, por causa da pandemia, há coisas boas que vieram para ficar. Como assim? «porque a preparação para a felicidade inclui, tem de incluir, o diálogo permanente com experiências negativas. (…). Para ser mais maduro emocional e espiritualmente preciso da experiência de confronto com a dor.(…) Perante as dores e frustrações, a questão que se coloca sempre é: como é que eu sou capaz de abraçar esta experiência negativa e transcendê-la, não me transformando na dor.» Instrutivo, não concorda?

Ana Luísa Amaral, visiting scholar na Brown University, EUA, Professora da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Poetisa e Tradutora, com o jornalista Luís Caetano fazem a análise de poemas de referência no podcastO Som que os Versos Fazem ao Abrir”. Todas as semanas é escolhido um poema, declamado pela voz da Fulbrighter, que depois o explica e analisa com o seu interlocutor. Já ouviu?

João Marecos, mestre em Direito Privado pela New York University, EUA, Advogado e Consultor da OMS,  explicou por que “acha que é um lisboeta de primeira geração ”: «sou (*endireito a gravata*) o primeiro membro da minha família que nasceu em Lisboa – acho eu. Isto é um momento irrepetível (…) nenhum descendente meu se poderá um dia orgulhar do mesmo…». Para dizer, contudo, que nunca usa o termo “terra” quando se refere a Lisboa. Curioso? Siga-lhe o lastro.

Maria Inês Marques, Ph.D. student in Dramaturgy and Dramatic Criticism na Yale School of Drama, EUA, e fundadora da plataforma UMA, foi esta semana uma das entrevistadas dos “Filhos da Madrugada”, um Programa da RTP3 que passa todos os serões até ao próximo dia 25 de Abril, de autoria e apresentação da jornalista Anabela Mota Ribeiro. Se não viu em direto, poderá ainda assistir ao programa e ficar a conhecer a Fulbrighter e o trabalho que tem vindo a desenvolver na área da dramaturgia contemporânea.

Francisco Ferreira, mestre em Engenharia do Ambiente pela Virginia Polytechnic Institute and State University, Blacksburg, EUA, doutor pela Universidade Nova de Lisboa onde também é Professor na Faculdade de Ciências e Tecnologia, ontem dia 22 de abril, o Dia da Terra, foi um dos convidados a comentar as respostas sobre as prioridades ambientais de Sua Excelência o Presidente da República Portuguesa, Professor Marcelo Rebelo de Sousa. Se não assistiu a esta “meia-hora de bom ambiente”, será possível ver a sessão gravada no FB da ‘Zero: Associação Sistema Terrestre Sustentável’.

Elaine Ávila, US Scholar in Playwriting and Screenwriting na Universidade dos Açores, Dramaturga, Guionista e Poeta, foi convidada pelo The Portuguese Beyond Borders Institute a celebrar o April-National Poetry Month. Siga o link e oiça “Their Hands” by the Fulbrighter.

Partilhar: