Procura leitura para o seu fim de semana?

Siga os links e fique a saber o que os(as) Fulbrighters escreveram ou disseram ao longo dos últimos dias:

Luís Lobo-Fernandes, doutorado pela University of Cincinnati, Ohio, visiting scholar no Departamento de Political Science da University of Washington, EUA, e Professor Catedrático da Universidade do Minho, reiterou a necessidade de se «reinventar o espaço transatlântico das democracias, crucial para a paz e estabilidade nos tempos que se seguem.». Não deixe de ler o artigo no Jornal Público.

Elísio Estanque, visiting scholar na University of Wisconsin, EUA, e Professor na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, escreveu sobre a mobilização das massas através das redes sociais: será que o “ciberativismo” ocupou de facto as praças e as ruas na denúncia das injustiças e desigualdades globais – o que lhe parece?

Maria do Céu Patrão Neves, alumna do Salzburg Seminar in Philosophy e Professora Catedrática no Kennedy Institute of Ethics, Georgetown University, EUA,  fez um registo da “saga” da nova vacina contra a COVID-19 – desejada, saudada, temida… e imposta?: «A estratégia tem de ser pedagógica, investindo na educação para a saúde, o que conduzirá a escolhas conscientes, livres e responsáveis em qualquer situação.»

Luís Cabral, doutorado pela Stanford University, visiting scholar no Departamento de Economia de Boston University, EUA, Professor da Universidade de Nova Iorque e da Aese, interroga-nos se estaremos mais ou menos pobres. De facto, o número de indivíduos abaixo do limiar de pobreza baixou, contudo, bastará dizer que todos estão melhor do que no passado para declarar que há menos pobres? Confronte a análise do Fulbrighter e tire as suas conclusões.

Diana Soller, doutorada em Ciência Política pela University of Miami, EUA, e Investigadora no Instituto Português de Relações Internacionais da Universidade Nova de Lisboa, falou sobre as importantes eleições para a composição do Senado americano no programa Mapa Mundo da TSF: após as eleições presidenciais no passado mês de novembro, republicanos e democratas confrontaram-se mais uma vez nas urnas. Não deixe de ouvir!

Laura Pires, visiting scholar no Departamento de American and Portuguese Studies de Georgetown University, EUA, Professora Catedrática Jubilada da Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa e Presidente da “Fulbrighters Portugal”, escreveu e editou mais um número da revista digital Gaudium Sciendi: da comunidade chinesa em Portugal à motivação segundo John Stuart Mill, entre várias outras temáticas, deve folhear estas páginas.

Gonçalo Saraiva Matias, visiting scholar em Georgetown University-Law School, EUA, Professor e Diretor Adjunto da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa, em Lisboa, deu destaque ao desafio de Portugal em face da transição energética para uma economia verde e descarbonizada: «Não se trata de um investimento reservado a poucos ou inacessível; com os instrumentos em vigor, é hoje possível às empresas interessadas participarem neste esforço coletivo…». Leia o artigo e fique a compreender melhor esta possibilidade e as condições únicas que o país apresenta.

Isabel Capeloa Gil, SUSI scholar na Western Michigan University, EUA, Professora Catedrática de Estudos de Cultura e Reitora da Universidade Católica Portuguesa, em entrevista falou do impacto transformador que a pandemia teve nas universidades, fazendo com que a formação se reinventasse e internacionalizasse mais. Qual a sua opinião?

João Marecos, mestre em Direito Privado pela New York University, EUA, Advogado e Consultor da OMS, argumentou que dizer “não sei” devia ser «tão natural como tossir» – não concorda? Então o melhor será ler a sua crónica, pois não saber não é motivo para vergonhas.

Arlindo Oliveira, doutorado pela University of California, Berkeley, EUA, e Professor Catedrático do Instituto Superior Técnico, diz-nos que o QI – o Quociente de Inteligência – tem exibido ao longo das décadas um crescimento sistemático, afirmação corroborada por outros investigadores. No entanto, também admite que é possível que as modernas tecnologias «ao colocarem todo o conhecimento do mundo ao nosso alcance, estejam, paradoxalmente, a reduzir as nossas capacidades cognitivas.». Estará, então, o aumento progressivo da inteligência humana a recuar? Confira as hipóteses!

Pedro Saraiva, doutorado pelo MIT, EUA, e Professor Catedrático da Universidade de Coimbra, escreveu sobre a necessidade da conversão dos dados em valor, para que estejam ao serviço daquilo que designou por “descovidicação”: «uma correta gestão da informação com base na ciência de dados pode fazer uma enorme diferença, tanto no planeamento como na implementação do correspondente sistema de distribuição, vacinação e monitorização da situação.».

Vítor Cardoso, visiting scholar na University of Mississipi, EUA, Físico e Professor no Instituto Superior Técnico, a duas mãos, relembra-nos que não é possível separar a Universidade da Sociedade e que só com a participação de ambas é que garantimos «uma sociedade mais coesa, uma sociedade do conhecimento verdadeira. É imprescindível a participação de todos neste esforço.». A não perder!

Partilhar: