Procura leitura para o seu fim de semana?

Siga os links e fique a saber o que os(as) Fulbrighters escreveram ou disseram ao longo dos últimos dias:

Daniel Traça, doutorado em Economia pela Columbia University, EUA, Diretor e Professor Catedrático da Nova School of Business & Economics, falou em entrevista dos cinco predicativos da liderança em tempos difíceis como os que vivemos: «Never forget the reason Why. The ‘Why’ is what gets you up today and it will pick you up when you are down tomorrow. (…) As a leader, you have to remind people of their ‘Why’» Siga seu o raciocínio, aqui.

Miguel Seabra, doutorado pela University of Texas, Dallas, EUA, Professor na Nova Medical School e investigador no Centro de Estudos de Doenças Crónicas, lidera uma investigação que tem vindo a estudar os tratamentos para a degenerescência macular, uma doença degenerativa que afeta a área central da retina e que pode levar à cegueira: «O epitélio pigmentar é uma zona da retina que tem como função reciclar as membranas dos fotorrecetores, as estruturas do olho responsáveis pela captação da luz. Uma parte destes fotorrecetores tem um tempo de vida muito curto e cerca de 10% das suas membranas são recicladas todos os dias…». Saiba mais sobre este trabalho pioneiro em “90 segundos de Ciência”.

Arlindo Oliveira, doutorado pela University of California, Berkeley, EUA, e Professor Catedrático do Instituto Superior Técnico, reiterou que o que nos faz humanos é a linguagem. Não obstante, adiantou também que «Talvez a riqueza do espírito humano, presente na mente de cada um de nós, não tenha uma natureza assim tão diferente das regras matemáticas que estão codificadas nos números do modelo estatístico do GPT-3». Terá de ler o argumento completo para ficar a saber mais.

Mariana Álvares, SUSI student em Civic Engagement na University of South Carolina, EUA, e Assistente de projetos no  Instituto Marquês de Valle Flôr, no seu artigo, ‘The Securitisation Process that Hinders any Solidarity Approach towards Refugees’, analisou as representações dos media em face dos refugiados no território europeu, desde a “perspetiva humanitária” à “crise de segurança” que têm vindo a simbolizar: «Alternatively, solidarity should not be restricted to an institutional conceptualisation but, instead, should be understood in a wide and inclusive sense, preventing any antagonistic approach between the EU («us») and the refugees («them»).». Leitura obrigatória!

Filipe Carreira da Silva, visiting scholar researcher em Harvard University, EUA, e Investigador auxiliar do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa,  a propósito das eleições de ontem na Escócia, perguntou se este país não estará, finalmente, a caminho da independência: «Se o nacionalismo de Farage alimentou o “Brexit”, o nacionalismo de Sturgeon é a força motriz por detrás do “Scotexit”. Ironia das ironias, o projeto de independência da Escócia é um projeto que o “Brexit” veio tornar mais difícil.». Importante reflexão sobre o futuro de um país europeu.

João Marecos, mestre em Direito Privado pela New York University, EUA, Advogado e Consultor da OMS, explicou por que razão prefere adotar a designação brasileira “Dia das Mães” em detrimento da portuguesa “Dia da Mãe”: «é que ao contrário do que ensina a sabedoria popular, mãe não há só uma.». O que se celebra afinal com este dia – a sorte biológica, uma genealogia, ou, diferentemente, os afetos, a atenção, a presença? Vai gostar de ler!

Partilhar: