Procura leitura para o seu fim de semana?

Siga os links e fique a saber o que os(as) Fulbrighters escreveram ou disseram ao longo dos últimos dias:

Arlindo Oliveira, doutorado pela University of California, Berkeley, EUA, e Professor Catedrático do Instituto Superior Técnico em Lisboa, escreveu sobre as precauções necessárias para não ser enganado nem propagar notícias falsas: «…o uso criterioso de espírito crítico e o evitar do viés da confirmação – a tendência que temos para acreditar em notícias que reforçam as nossas convicções – são técnicas poderosas que podemos usar para não sermos enganados.» Conhece outras ferramentas para combater as fake news?

João Horta Belo, futuro visiting scholar researcher no Oak Ridge National Laboratory, Tennessee, EUA, e Investigador do Instituto de Materiais Avançados, Nanotecnologia e Fotónica da Universidade do Porto, lidera o projeto de investigação da Universidade do Porto que pretende construir um micro refrigerador “verde” que, tendo por base o princípio da refrigeração magnética, auxiliará na deteção de doenças: «o protótipo poderá ajudar a que os testes de detecção de doenças, que utilizam amostras biológicas, possam dar resultados mais rápidos e de forma mais eficiente». Uma importante carta dada pela Ciência em Portugal, viva!

João Marecos, mestre em Direito Privado pela New York University, EUA, Advogado e Consultor da OMS, perguntou ‘quanto pesa um olhar?’:«‘Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara’, assim começa o Ensaio sobre a Cegueira de Saramago, antes de perderem todos a vista numa pandemia, e com ela a humanidade.». O olhar de cada um continua a ser valioso.

Filipe Carreira da Silva, visiting scholar researcher em Harvard University, EUA, e Investigador auxiliar do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, questionou a legitimidade de uma conceção da História que opõe a civilização ocidental, baseada na ‘racionalidade da escrita e do papel’, aos impérios outros, como o Médio Oriente, supostamente baseados na ‘força bruta da espada’: «The Lost Archive [de Marina Rustow] é uma proposta para que se vire a página no nosso entendimento de como os Estados islâmicos medievais funcionavam: (…) impostos, regulamentos, decisões judiciais, queixas às autoridades, etc. … Subitamente, o Médio Oriente deixa de ser a terra do “despotismo oriental” (…) e emerge perante os nossos olhos a imagem de uma burocracia tão racional, sistemática e organizada quanto a dos impérios contemporâneos do Ocidente.». A sociologia histórica a questionar as conclusões preconcebidas sobre a ‘excepcionalidade do Ocidente’. Bravo!

Nuno Castel-Branco, doutorado em History of Science pela Johns Hopkins University, EUA, no seu artigo sobre Galileo Galilei, leva-nos até ao primeiro quartel do século XVII e ao que então ficou conhecido no Vaticano como ‘the fable of sound’ – o encantamento do Papa pelo som produzido pelas cigarras:«This cicada story was usually a high point of the class that I used to teach at Johns Hopkins University on the Galileo affair. But what attracted my students the most was the fact that the Pope liked the fable so much that he had it read to him at meals. The students were fascinated by the fact that the Pope, the most powerful man in the Catholic Church, actually admired Galileo and his science. Why then, they ask, did this same Pope end up condemning Galileo for his theory that the Earth orbited the sun? You do want to know more of the story, right?

Mariana Miranda, SUSI european student leader em Social Entrepreneurship, Indiana University, Bloomington, EUA, publicou a várias mãos um artigo sobre “Aging assessment of microplastics under urban environment stressors“: «The changes observed in the microplastic particles studied support the theory that microplastics in the environment undergo aging and change their characteristics through time, potentially affecting their behavior and intensifying their impacts.». Temática que a tod@s importa!

Ricardo Borges de Castro, mestre em International Relations pela Tufts University, EUA, e Associate Fellow – Global Fellowship Initiative, Geneva Centre for Security Policy, escreveu sobre um novo paradigma de governança para o século XXI, i.e., ‘Democracia antecipatória’: «Se a democracia não pode andar mais depressa para acompanhar o ritmo de mudanças, então deve ser mais inteligente sobre o futuro. (…) A democracia antecipatória pode ser a chave para que a Europa se mantenha forte e aberta num mundo em aceleração e muito mais competitivo.». Leitura obrigatória!

Ricardo Araújo, mestre em Geology pela Southern Methodist University, Dedman School, EUA, e Paleontólogo, com a equipa de investigadores que integra descobriram em Moçambique duas novas espécies de troncos de árvore fossilizados com 259 milhões de anos! Esta descoberta «permite perceber que o clima na altura era subtropical e húmido, muito diferente do clima que temos hoje.», referiu o Fulbrighter. Well done!

Partilhar: