De acordo com a edição de 2018 do Open Doors Report on International Educational Exchange,  relatório anual publicado pelo Institute of International Education (IIE) e o Bureau of Educational and Cultural Affairs do Departamento de Estado norte-americano, o número total de estudantes internacionais que frequentaram instituições de ensino superior americanas no ano lectivo 2017/2018 cresceu 1,5%, ultrapassando, pelo terceiro ano consecutivo, a barreira de um milhão de estudantes internacionais. Foi atingido o número recorde de 1,094,792 estudantes internacionais nos EUA, um número que coloca uma vez mais os Estados Unidos no primeiro lugar da lista global de países de destino de estudantes internacionais.

 

Segundo o mesmo relatório, o número de estudantes portugueses inscritos em instituições de ensino superior norte-americanas aumentou no ano letivo 2017-2018 para 937, o que representa um crescimento de 0,9% em relação ao ano letivo anterior. A distribuição desses estudantes por nível académico revela um crescimento muito positivo do número de estudantes que escolhem os EUA para fazer o equivalente à licenciatura (mais 4,1% que em 2016/17).

Por outro lado, no que diz respeito aos estudantes norte-americanos que escolheram estudar no estrangeiro, os dados revelam um crescimento de 2,3% relativamente ao ano anterior. A Europa continua a ser a primeira escolha como destino, atraindo mais de 54% do número total.

 

No que diz respeito a Portugal, o relatório deste ano revela um impressionante crescimento de 32,5% em 2016/2017, com um total de 693 estudantes estudantes americanos a escolherem como destino as instituições de ensino superior portuguesas. Portugal passa assim a fazer parte pela primeira vez do ranking dos vinte países europeus que recebem um maior número de estudantes americanos, ocupando a décima nona posição. A taxa de crescimento face ao ano anterior é mesmo a segunda maior verificada no conjunto de países europeus que recebem mais de 500 estudantes americanos.

 

A Comissão Fulbright encara com muita satisfação estes resultados, que derivam de um trabalho em conjunto com a Embaixada dos EUA em Portugal e a Embaixada de Portugal nos EUA, a rede EducationUSA, as instituições de ensino superior portuguesas e norte-americanas e diversos parceiros institucionais no sentido de aumentar o intercâmbio educacional entre Portugal e os EUA. A oferta crescente de bolsas no âmbito do Programa Fulbright, que em 2018 atingiu o número total de 65 (39 atribuidas a portugueses e 25 a americanos), o aconselhamento académico prestado aos estudantes e a organização e participação em eventos relacionados com o recrutamento de estudantes portugueses e norte-americanos muito contribuiram para os bons resultados alcançados.

 

Alguns exemplos destas atividades são a participação portuguesa na NAFSA – Annual Conference & Expo, no âmbito do programa Study & Research in Portugal, a organização dos Fulbright U.S. Study Abroad Capacity Building Workshops e a organização anual em Portugal da Feira EducationUSA de universidades norte-americanas. A estas atividades juntou-se em 2018 a organização em Washington DC do primeiro Fulbright Portugal / U.S. Higher Education and Science Forum, destinado a fomentar a colaboração entre as instituições de ensino superior e investigação dos dois países.

 

Excelentes notícias, portanto, a acentuar a importância de celebrar o intercâmbio académico e a educação internacional, objectivo da International Education Week 2018 que agora termina!

 

Otília Macedo Reis

Diretora Executiva

Comissão Fulbright – Comissão para o Intercâmbio Educacional entre os Estados Unidos da América e Portugal

16 de novembro de 2018

Partilhar: